3 de agosto de 2009

Bonecas de barro de Isabel Mendes da Cunha

Boneca de barro (retrato materno) - pintada com pigmentos naturais



Isabel Mendes da Cunha, mais conhecida como Dona Isabel, nasceu no dia 3 de agosto de 1924, no município de Itinga, MG. Dotada de grande capacidade artística, aos 85 anos, ela ainda mergulha na tradição da cerâmica artesanal, no pequeno vilarejo de Araçuai, no município de Ponto dos Volantes, e é reconhecida como uma das mais importantes artistas populares do ofício com o barro, no Vale do Jequitinhonha, no norte de Minas Gerais.

Seu pai trabalhava na lavoura, e sua mãe, além dos serviços domésticos, era louçeira e fazia panelas para vender, pois possuia um saber ancestral obtido de seus antepassados indígenas. Desde criança, Dona Isabel ajudava a mãe a produzir utensílios domésticos, Assim, ela cresceu vendo a mãe trabalhar com esta arte. Ela não podia desperdiçar a argila que era utilizada para fazer panelas, então pegava um pouquinho escondido para fazer “bonecas”, surgindo daí um sonho.

Porém, o sonho de Dona Isabel de fazer “bonecas” somente se tornou realidade depois de muitos anos, já na fase adulta. Antes disso, quando já casada e depois de viúva, no esforço de criar seus filhos e fugindo das dificuldades de ganhar o pão com o trabalho na roça, encontrou no barro a sua forma de sobrevivência, então passou a produzir potes, travessas, figuras de presépios, que eram vendidos na feira da região. Suas peças já se destacavam pela sua criatividade e capricho na modelagem e na decoração.

Anos depois, aos 44 anos, Dona Isabel se tornou conhecida através de suas admiráveis bonecas, suas mais famosas criações, hoje tão conhecidas no Brasil e no Exterior. Como bonequeira, ela criou imagens representando diversas situações do cotidiano, como noivas vestidas de branco com arranjos e buquês, noivos vestidos com terno e gravata, mães amamentando seus filhos, preparativos para festas, procissões, etc. As mulheres são enfeitadas com brincos, colares e outros enfeites, bem como são apresentadas com olhos, cílios, lábios e unhas pintadas e com penteados. Algumas das peças chegam a medir 1,5 m de altura. A perfeição das formas e a expressão dos rostos de suas bonecas são impressionantes, pela riqueza dos traços e detalhes de sua gente.

Dona Isabel ensinou a sua arte a todos aqueles que vinham até ela, formando uma verdadeira escola de cerâmica, onde a técnica foi sendo repassada através de gerações, ajudando a melhorar a vida de seus conterrâneos, muitos deles hoje reunidos na Associação dos Artesãos de Santana de Araçauí. Ela criou um estilo próprio de trabalho, onde vários fatores influenciam no resultado final: a escolha do barro, sua preparação e manuseio, a modelagem, o acabamento, a pintura e a queima. As tintas utilizadas para pintar as peças são obtidas na própria natureza. As diversas nuances do barro abundante do Vale dão origem às tonalidades, resultando numa cerâmica rica em lembranças, vivências e cores.

Em 2004, Dona Isabel ganhou o primeiro lugar do prêmio UNESCO de Artesanato para América Latina e Caribe, com a peça “Boneca em Cerâmica”. Com o tema "Criações do Cotidiano", a obra vencedora representava uma mãe amamentando o filho.

Mestra Dona Isabel é certamente um talento precioso, em um país rico em tradições culturais.


Assista ao video com esta admirável artista no Museu da Pessoa




4 comentários:

Reis disse...

Belo trabalho. Não vi tudo, mas o que vi, diz tudo. Parabéns!

Geisi disse...

Lindo, lindo e lindo!!!!
Parabéns pela sensibilidade ao escrever sobre a minha avó!

andrebaiao disse...

Belo trabalho, e que talento. Parabéns a dona Isabel, o mundo merece mais pessoas como ela!

polaka disse...

lindissimas,sou ceramista e nuncA cansi de admirar o trabalho dela